Boa noite, Quinta-Feira, 19 de Outubro de 2017

Notícia

Sintimmmeb participa de debate sobre Movimento Sindical e a defesa dos direitos trabalhistas

Diretores do Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos de Brusque participaram na última sexta-feira, 15 de julho, da palestra "A ação sindical e a negociação coletiva na atual encruzilhada brasileira", proferida pelo sociólogo e diretor técnico nacional do DIEESE Clemente Gunz Lúcio. O encontro foi realizado no auditório da FECESC (Federação dos Trabalhadores no Comércio no Estado de Santa Catarina), em Florianópolis.

Entre os assuntos abordados, esteve a importância da unidade entre os sindicatos e centrais com o objetivo de lutar pela garantia dos direitos trabalhistas, a atual conjuntura política e econômica e a atuação dos sindicatos locais e nacionais em prol dos trabalhadores e trabalhadoras. Após a explanação de Clemente, os presentes abriram um debate , com questionamentos e colocações sobre os assuntos.

"Temos que cobrar de nós mesmos uma ação mais incisiva diante de toda a realidade política que vivenciamos no nosso país, de nos unir, como lideranças sindicais, não só no discurso, mas na prática e com urgência. Porque vemos hoje muitas ameaças e riscos aos direitos de todos os trabalhadores e temos o dever de evitar que isso se concretize. Só conseguiremos com a união das nossas lideranças, e, principalmente de todos os trabalhadores", comentou o Secretário Geral do Sintimmmeb, Jorge Luiz Putsch.

Também integraram o encontro os diretores do Sintimmmeb Clóvis Cabral e Silva e Moisés Francisco da Silva. Estiveram presentes lideranças sindicais de diversas regiões do Estado, além de representantes das principais Centrais Sindicais do país em Santa Catarina - UGT (União Geral dos Trabalhadores), Força Sindical, CUT (Central Única dos Trabalhadores e NCST (Nova Central Sindical de Trabalhadores).

HOMENAGEM

Antes da palestra e debate, foi feita uma homenagem a Moacir Pedro Rubini, secretário de políticas educacionais e qualificação profissional da UGT-SC, secretário geral da FETEESC e secretário do Dieese, falecido a poucas semanas. O sindicalista foi lembrado por sua contribuição ao movimento sindical e pela luta em prol dos trabalhadores.

=========================================

Veja alguns temas abordados por Clemente durante a palestra:

- Qual é a maior providência do Movimento Sindical na atual conjuntura política e econômica e diante dos riscos e as ameaças aos direitos trabalhistas hoje?

Clemente: Construir a unidade sindical, pra ter uma agenda comum e uma estratégia convergente de atuação desde o local, especialmente, no âmbito do município, mas não só no âmbito estadual e nacional, pra macrorregulação - Previdência Social, Terceirização e os direitos trabalhistas em geral. E, evidente, tem um desafio muito concreto na vida sindical, que é lutar contra o desemprego. Isso afeta, inclusive, as negociações das categorias. Tem uma dupla dinâmica, em relação às grandes questões e uma luta objetiva contra o desemprego, que fragiliza muito o movimento sindical e destrói as condições de vida dos trabalhadores.

- É possível fazer uma unificação, construir a união do movimento sindical e dos trabalhadores diante da realidade que se apresenta no cenário brasileiro?

Clemente: É uma tarefa política. Creio que o movimento dos trabalhadores dá demonstrações o tempo todo e, aqui em Santa Catarina, há essa demonstração de unidade na construção de uma luta sindical pelo Piso Salarial Regional. Então, apesar de todas as diferenças que existem, houve uma unidade muito concreta e aplicada. Creio que é possível, sim, construir essa unidade. E esse trabalho precisa ser desdobrado desde o âmbito nacional até o local.

- Na sua leitura da realidade política brasileira, somos capazes de defender e garantir direitos dos trabalhadores?

Clemente: Sim. O Movimento Sindical tem uma estrutura e uma organização capaz de oferecer uma resistência e preservar. Até em alguns sentidos melhorar a própria regulação no que se tem discutido atualmente. A condição favorável que se tinha, em relação ao desemprego diminuindo, ampliação da formalização, aumento salarial, isso tudo levava o sindicato a ter um nível de força. Hoje as dificuldades são muito maiores. Mas, ao mesmo tempo, o Movimento Sindical deu demonstração, ao longo desse tempo, que tem muita força e é a principal organização social de resistência. 

Rua João Bauer, n° 75 | Centro | Caixa Postal 310 | Fone (47) 3251-5900 | E-mail: sintimeb@terra.com.br

CEP: 88350-101 | Brusque | SC


Copyright 2017 - Todos os direitos reservados a SINTIMMMEB.